Ex-namorado de técnica de enfermagem confessa que o crime foi motivado por ciúmes

16
Para ouvir nossa rádio, baixe o aplicativo RadiosNet para celulares e tablets com Android ou iPhone/iPads.

Na tarde desta segunda-feira (4), Pedro Henrique, de 24 anos, confessou que foi o responsável pela morte da estudante de enfermagem Letícia Stefani Inácio. Os dois namoraram por cinco meses e, segundo familiares da jovem, ele não aceitava o fim do relacionamento.

O autor do crime estava em casa quando foi preso pelos policiais. Durante depoimento para o delegado, Pedro Henrique relatou que teve uma discussão com Letícia na sexta-feira (1) e que depois disso, ela saiu para uma festa. Na confraternização, a jovem postou uma foto com os amigos, e segundo Pedro, a publicação foi o motivo do assassinato.

Pedro afirmou ainda que foi até o condomínio de Letícia e a esperou de madrugada. Quando a jovem chegou, o autor do crime disse que ela teria dado um tapa no rosto dele e que para se defender, empurrou a jovem. Com a queda, ela teria batido a cabeça e não resistiu aos ferimentos.

O corpo de Letícia continha sinais de espancamento, e os pais da vítima acreditam que tenha sido um caso de feminicídio. Pedro tinha vários arranhões no rosto e no corpo, segundo os policiais.

Relembre o caso:

A estudante de enfermagem Letícia Stefani Inácio, de 24 anos, foi encontrada morta na tarde deste domingo (3) no condomínio onde morava em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. A vítima estava desaparecida desde o início da manhã de sábado (2).

Um morador do condomínio descia as escadas quando viu marcas de sangue no corrimão e encontrou o corpo de bruços embaixo da escada, no térreo, com sinais de espancamento. Após o pai reconhecer o corpo da filha, a Polícia Militar isolou a área.

Os pais de Letícia afirmaram que ela estava voltando para casa de Uber após trabalhar no plantão do Hospital Universitário Cajuru, e que o aplicativo de transporte marcava sua saída do local às 6h28. O aplicativo enviou a notificação de que a jovem foi entregue no endereço às 6h38, mas a estudante não chegou no apartamento.

Na manhã de sábado os familiares já sentiram falta de Letícia, pois ela havia enviado para a mãe às 6h32 que estava chegando no condomínio localizado na rua Rio São Luiz, no bairro Weissópolis, mas não entrou em casa.

Os familiares registraram um Boletim de Ocorrência sobre o desaparecimento antes da notícia da morte da filha. A mãe da vítima relatou que a jovem não era irresponsável e que não tinha inimigos, mas que o ex-namorado já havia ameaçado a estudante de morte.

Letícia estava no último ano da faculdade de enfermagem e trabalhava no Hospital Universitário Cajuru.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA