Quatro novos deputados tomaram posse hoje (segunda, 08) na Assembleia Legislativa do Paraná. Adelino Ribeiro (Patriotas), Nereu Moura (MDB), Elio Rusch (DEM) e Pedro Paulo Bazana (PV) assumem as vagas deixadas após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou o mandato do deputado Delegado Francischini (PSL).

O Tribunal determinou a anulação dos votos recebidos pelo parlamentar e, com isso, a bancada do PSL, que era a maior da Alep, com oito cadeiras, perdeu metade das vagas, caindo para quatro deputados. Dessa forma, também deixaram o Poder Legislativo os deputados Emerson Bacil, Do Carmo e Cassiano Caron, todos do PSL. Na última quarta-feira (3) o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), fez a leitura de notificação expedida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) sobre a decisão do TSE. Em seguida, declarou a vacância dos quatro mandatos parlamentares e convocou os deputados suplentes.

Hoje (segunda, 08) os novos deputados realizaram o compromisso regimental com o juramento em respeito à Constituição e às leis do Estado, além de assinarem o termo de posse.

Entre os parlamentares que assumem os postos, Ribeiro foi deputado por um mandato entre 2011 e 2014; Moura é veterano na Casa, com sete mandatos entre 1993 e 2018. Élio Rusch também foi deputado por sete mandatos no mesmo período, e assumiu o cargo duas vezes durante a licença maternidade de Maria Victória (PP). Já Pedro Banzana (PV) é o único estreante na Casa. Ex-vice-prefeito de Arapongas, na região Norte, atualmente é presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do município.

Francischini foi condenado pelo TSE por abuso de autoridade e uso indevido dos meios de comunicação. Em 2018, com a votação ainda em andamento, Francischini disse em uma live no Facebook que estava comprovado que as urnas eletrônicas haviam sido fraudadas, para prejudicar o então candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro. As denúncias nunca foram comprovadas.

Clique aqui e assine

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA