Postos em Teresina sobem preço da gasolina e justificam: “invasão russa”

50

No Piauí, a quinta-feira (24) aconteceu de forma inusitada. Os motoristas foram surpreendidos com mais um aumento do preço da gasolina. Porém, dessa vez, os donos dos postos de abastecimento foram questionados, já que a Petrobras não anunciou reajuste no valor do combustível. Assim, os empresários da capital Teresina justificaram que o aumento foi devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, que começou durante a madrugada.

O litro da gasolina que custava em média R$ 6,59 nesta quarta-feira (23) subiu para R$ 7,29.

Um frentista, que preferiu não se identificar, revelou ao G1 que o posto combustíveis ao ser abastecido nesta quinta-feira, ele foi obrigado a retirar a placa com os preços. Em alguns estabelecimentos, o aumento só era percebido na bomba.

O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) informou que está consciente da situação e tomará as medidas cabíveis. Já o Sindicato dos Postos Revendedores de Combustíveis do Piauí (Sindipostos) justificou que os empresários têm liberdade para reajustar os preços, mesmo sem aumento direto da Petrobras.

No início da semana, analistas indicavam que um conflito no leste europeu poderia levar o preço do barril do petróleo a ultrapassar a simbólica marca dos 100 dólares. Na tarde de hoje (24), os preços dispararam com o Brent superando US$ 105 o barril pela 1ª vez desde 2014.

Gasolina e derivados mais caros
Com isso, derivados do produto (gasolina, gás natural, gás de cozinha e diesel) também aumentariam de preço. Como a gasolina brasileira é composta em 27% de etanol anidro (que também vem registrando aumento de preços), mais um fator para o reajuste, fora o dólar mais caro. Em 2021, a gasolina subiu quase 50%.

Clique aqui e assine

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA