A segunda via da carteira de identidade emitida no Paraná traz a partir desta semana dados extras como observações de saúde, tipagem sanguínea, deficiências, símbolo do autismo quando for o caso e o número da carteira nacional de habilitação. O serviço é disponibilizado apenas pela internet desde segunda-feira (14). A ideia é oferecer praticidade ao portador do RG, tornando o documento utilizável em qualquer situação.

No entanto, o Governo Federal anunciou a criação de um RG nacional, com número único a partir do CPF e aceito em todo o país. Como atualmente cada estado emite o documento, é possível que uma única pessoa registre até 27 carteiras de identidade, uma em cada unidade federativa. Além do documento físico, vai estar disponível também o documento online. Isso vai permitir uma maior segurança, segundo o governo federal, já que vai ser possível fazer a validação eletrônica por QR Code, inclusive offline.
O novo RG também vai poder ser usado em viagens, já que inclui o código MRZ, de padrão internacional, o mesmo usado em passaportes.

O RG unificado vai ter validade de 10 anos, o mesmo prazo vale para o RG atual, exceto para pessoas com 60 anos ou mais, para qual o RG vale por tempo indeterminado.
Segundo o governo federal, os institutos de identificação estaduais têm até o dia 6 de março de 2023 para se adequar à mudança. O Paraná não informou qual a expectativa de começar a emitir o novo RG no estado, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP) a pasta está trabalhando em conjunto com o Instituto de Identificação do Paraná e a Celepar, para implantar o novo RG.

Clique aqui e assine

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA