Frentista de posto vira narrador do Campo Novo do Parecis

2

O rádio esportivo perdeu muito com a migração das emissoras AM para a frequência FM nos últimos anos, a aposentadoria ou morte dos ídolos e as demissões em massa enfraqueceram o veículo em todo o País. Somado a isso os altos custos para as transmissões, obrigaram as emissoras que resistiram a optar pelo ‘off-tube’ – narração feita do estúdio, de frente para a uma tela de televisão. Mas, apesar de tudo isso a paixão pelo rádio continua presente no inconsciente coletivo de milhões de fãs espalhados pelo País.

Um exemplo claro dessa paixão é Marlon Kenedy (25). O frentista de posto que mora em Campo do Parecis há menos de dois anos, foi guia turístico na Barra de Santo Antônio e funcionário público municipal, mas, na tarde de domingo, era narrador de futebol.

Vestindo a camisa do clube a beira dos vestiários, no Estádio Presidente Dutra, Kenedy acompanhou todo o jogo do seu time do coração contra o Paulistano, de uma forma diferente: narrando lance a lance do duelo válido pela segunda divisão.

“Jogo de meia, agora futebol e o rádio, mas nunca tive uma chance no time”, brincou o voluntário, que entre um lance e outro, interrompia a narração vibrante, para servir água aos convidados do clube no camarote do estádio.

Baixinho, careca, 1,60m, mas dono de um carisma que o tornou uma espécie de mascote do clube, Kenedy fez ecoar seus gritos na arquibancada do Dutra no domingo, e voltou para casa meio rouco, após uma tarde/noite de goleada.

O Campo Novo goleou o Paulistano de Nortelândia por 6 x 0, no complemento da Terceira Rodada da Série B do Mato-grossense.

Clique aqui e assine

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA