Aconteceu de novo….Frentista sofre agressão em posto de combustível em Colombo PR.

1571

A segurança dos profissionais que atuam nos postos de combustíveis é uma questão que tem ganhado destaque nos últimos tempos, e infelizmente, mais um caso chocante de agressão foi registrado.

Dessa vez, a vítima foi Guadalupe Monithle Bahs de Morais, uma frentista que trabalha no turno da noite no Posto Tio Ari, localizado no bairro Guaraituba, município de Colombo, na região metropolitana de Curitiba.

VEJA O AQUI O VIDEO

Na noite em questão, Guadalupe estava desempenhando suas funções de atendimento aos clientes quando se deparou com uma situação que nenhuma pessoa deveria enfrentar em seu ambiente de trabalho.

Um cliente, acompanhado por mais três homens, começou a proferir supostas ofensas verbais de cunho discriminatório e, posteriormente, partiu para a agressão física.

As imagens desse ato lamentável foram capturadas e compartilhadas pelo Sinpospetro-Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral.

Segundo a entidade sindical, tais imagens servem como prova irrefutável da brutal agressão sofrida por Guadalupe.

Após o ocorrido, Guadalupe tomou as medidas necessárias para buscar justiça e apoio.

Ela imediatamente registrou um boletim de ocorrência, e procurou a assistência jurídica e psicológica oferecida pelo seu sindicato.

É evidente que a frentista ficou profundamente abalada pelo acontecimento, mas sua coragem em buscar ajuda e apoio é digna de admiração.

Neste momento delicado, Guadalupe também contou com o apoio e a solidariedade do sindicato, que se comprometeu a adotar todas as medidas legais necessárias para que o agressor seja responsabilizado por seus atos.

É alarmante perceber que este novo caso de agressão praticamente repete a situação vivida por Juan Pablo, outro frentista, apenas duas semanas atrás, em um posto de combustíveis no bairro do Boqueirão, em Curitiba.

O sindicato denuncia veementemente essa nova ocorrência de agressão.

Lairson Sena, presidente do Sinpospetro Curitiba, destaca a necessidade de pôr um fim nas agressões físicas, verbais e em todo tipo de assédio enfrentados pelos frentistas em seus locais de trabalho.

A segurança e o bem-estar desses profissionais são fundamentais, e é responsabilidade de todos lutar por um ambiente de trabalho seguro e respeitoso – destacou o dirigente sindical.

Diante desses tristes eventos, o sindicato e a Câmara Municipal de Curitiba se uniram em prol da causa.

No próximo dia 29 de novembro, está programada uma audiência pública para discutir a violência e o assédio moral enfrentados pelos frentistas nos postos de combustíveis.

É um momento importante para debater soluções, conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade do problema, e buscar formas efetivas de proteger esses trabalhadores.

Para entender a gravidade dessas agressões, é importante contextualizar com o caso de Juan Pablo, um frentista que foi alvo de agressões raciais em um posto de combustíveis em Curitiba.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA