UPAs de Curitiba: alta demanda altera fluxos de atendimento

822

As UPAs de Curitiba terão, a partir desta semana, alterações nos fluxos de atendimento devido a alta demanda de pacientes e procura.

De acordo com a Prefeitura de Curitiba, a alta demanda por atendimentos de saúde ocorre em todos os pontos de atenção, principalmente no setor de Urgência e Emergência. Dessa forma, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba coloca em prática o plano de contingência.

O aumento de demanda ocorre devido aos atendimentos de casos respiratórios, suspeitas de dengue e também crises hipertensivas e de glicemia nas UPAs de Curitiba.

Os hospitais da cidade têm recebido bastante demanda ocasionada por traumas (principalmente acidentes de trânsito). As cirurgias eletivas não foram suspensas pela SMS.

Desde quarta-feira (10), o fluxo em Y voltará gradativamente nas UPAs da cidade. A medida prevê um eixo de atendimento específico para casos respiratórios e pacientes com suspeita de dengue e outro modelo para os demais atendimentos.

A carga horária dos médicos das UPAs serão ampliadas e haverá a instalação de tendas na UPA Boa Vista e UPA Cajuru, as mais impactadas neste momento. A partir da próxima semana, a estratégia das cabines com conexão direta para teleatendimento pela Central Saúde Já Curitiba nas UPAs Boa Vista, Sítio Cercado e Cajuru também serão expandidas.

As UPAs poderão ter, quando necessário, parte dos leitos direcionados para internamento hospitalar, funcionando como unidades de retaguarda dos hospitais do SUS.

Atendimento nas UPAs de Curitiba
A média de pessoas atendidas nas UPAs, de acordo com a Prefeitura de Curitiba, foi de 4.285 por dia em março deste ano. Já em janeiro, as UPAs atendiam, em média, a 3.223 pacientes por dia — dois meses depois, as unidades passaram a receber mais 1.000 pacientes todos os dias.

Até 6 de abril, foram 17.034 atendimentos por suspeita de dengue. Ainda, a rede municipal de saúde registrou até a mesma data, 162.327 atendimentos por sintomas respiratórios — superando a média da série histórica e os números registrados por atendimentos respiratórios nos últimos anos (pandemia e pós-pandemia).

UPAs de Curitiba atendem casos graves e emergências
Em casos leves ou não urgentes, a recomendação da SMS é de que a população procure as 104 unidades básicas de saúde da cidade.

Os pacientes de Curitiba também podem procurar atendimento via Central Saúde Já, para queixas leves agudas. A Central Saúde Já funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h, inclusive nos feriados. Nos sábados e domingos funciona das 8h às 20h.

As UPAs são unidades que atendem casos graves e de emergências de saúde. Os pacientes com queixas mais urgentes tem prioridade, enquanto os demais casos podem aguardar mais tempo.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA